Honorários de árbitro devem ser tributados pela pessoa física

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on pinterest
Pinterest

Honorários de árbitro devem ser tributados pela pessoa física

Publicado originalmente

 

Por Tadeu Rover

 

O Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) decidiu que os honorários devidos aos advogados que atuam como árbitros devem ser tributados pela pessoa física, e não pela sociedade de advogados.

A decisão da 2ª Turma da 4ª Câmara da 2ª Seção foi decidida pelo polêmico voto de qualidade, proferido pelo presidente da turma, que é sempre um representante da Fazenda.

Prevaleceu o entendimento de que a arbitragem não é uma atividade relacionada diretamente com a advocacia, já que pode ser exercido por qualquer pessoa com expertise. Com isso, os honorários devem ser tributados na pessoa física, que possui uma alíquota mais alta. Para a pessoa física, a alíquota é de 27,5% de Imposto de Renda, enquanto a da pessoa jurídica é de 15%.

Para o advogado Fábio Calcini, do Brasil Salomão e Matthes Advocacia, o posicionamento do Carf não atende à legislação. Ele explica que, naturalmente, a execução do trabalhador será via pessoa física, como se dá também com outras atuações de natureza jurídica voltadas para a advocacia, como um parecer ou mesmo ações e defesas judiciais.

“Isto, porém, não significa que o serviço prestado e a receita não pertence à pessoa jurídica da qual um determinado advogado, exercendo a função de arbitro é sócio. Há clara ilegalidade, pois, não há simulação ou fraude para a Receita Federal desconsiderar a tributação na pessoa jurídica, principalmente, após artigo 129 da Lei 11.196/2005 (Lei do Bem)”, afirma.

O dispositivo citado pelo advogado regulariza a atividade de prestação de serviços, feita por profissionais liberais, mediante a constituição de pessoa jurídica.

Um caso semelhante também começou a ser julgado pela 2ª Turma da 2ª Câmara da 2ª Seção. Porém, o julgamento foi interrompido após pedido de vista. Por enquanto há apenas um voto, de representante da Fazenda, para que os honorários sejam tributados na pessoa física.

12448.731372/2014-15
12448.730776/2014-91

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on pinterest
Pinterest
Imagem padrão
periciabr
Artigos: 328
0
Seu carrinho está vazio!

Parece que você ainda não adicionou nenhum item ao carrinho.

Buscar Cursos