Ramones: briga judicial entre herdeiros pela marca chega ao fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on pinterest
Pinterest

Ramones: briga judicial entre herdeiros pela marca chega ao fim

Publicado originalmente

Por Por Igor Miranda

Os dois herdeiros do legado dos Ramones chegaram a um acordo a respeito dos direitos da marca da banda, que transcende a música e tem sua logo estampada em milhões de camisetas pelo mundo. A informação é do site da Billboard.

Os procedimentos legais entre Mitchel Hyman, irmão do vocalista Joey Ramone, e Linda Cummings-Ramone, a viúva do guitarrista Johnny Ramone, estavam em andamento há quase um ano. Os dois são sócios igualitários da Ramone Productions Inc. (RPI), empresa que comercializa licenças e produz merchandising relacionados aos Ramones.

Inicialmente, Mitchel Hyman processou Linda Cummings-Ramone após ela adotar o sobrenome “Ramone”, de forma oficial, em 2014. Ele alegou que a medida foi “inapropriada e não-autorizada” e que, com isso, ela “violava o acordo de acionistas da banda e diluía a propriedade intelectual” da qual eles eram detentores.

Mitchel também solicitou para Linda parar de se referir à casa dela em Los Angeles como o “rancho Ramones”, pois fãs estariam sendo manipulados a acreditar que seria uma residência oficial da banda. Por fim, ele alegou que ela se promovia como presidente da RPI e não como co-presidente, já que o cargo é ocupado por duas pessoas. A indenização solicitada foi de US$ 275 mil.

“Nem ela, nem eu – como pessoas que supostamente representam os Ramones – deveríamos usar o nome designado pelos integrantes e usá-lo como nosso […] Eu acredito que é minha responsabilidade proteger o nome Ramones e Ramone para a banda, para o uso dos integrantes e para fazer o que é de interesse deles, não meu”, afirmou Mitchel Hyman, em entrevista ao The Post traduzida pela Rolling Stone.

Linda Cummings-Ramone, por sua vez, acusou Mitchel Hyman de não trabalhar em prol da empresa e, sim, com interesse pessoal, pois ele estaria “negando, de forma irracional, o uso da Ramones IP”. Ela pediu US$ 5 milhões em sua ação, sob alegação de que ele estaria violando acordo entre os dois e a assediando com processos litigiosos.

 

O processo parou nas mãos de Bob Donnelly, descrito como “árbitro” em uma solução alternativa, longe do poder judiciário. Donnelly constatou que os desentendimentos entre os dois resultaram em “oportunidades perdidas” para a marca Ramones, já que estava desencorajando investidores e parceiros comerciais. “Essa disputa interna provavelmente criou um ambiente tóxico que desencorajaria muitos promotores e apresentadores de querer investir seu tempo e dinheiro no desenvolvimento de um trabalho com os Ramones”, afirmou ele.

Em seu veredicto, Bob Donnelly determinou que Linda Cummings-Ramone não use o termo “Ramones Ranch” sem autorização de Mitchel Hyman, mas ela pode utilizar as expressões “Johnny Ramone Ranch” e “Linda Ramone Ranch”. Ela também foi autorizada a se apresentar como Linda Ramone no evento “Johnny Ramone Tribute”, realizado anualmente em memória ao guitarrista, mas fora desse ambiente, terá de acrescentar o sobrenome Cummings, ficando Linda Cummings-Ramone.

Por sua vez, Mitchel Hyman foi impedido de se opor ou diminuir as oportunidades de negócios relacionados às marcas “Johnny Ramone” e “Linda Ramone”. O “árbitro” ainda aconselhou que os dois “considerem o caminho perigoso onde estavam e façam algumas mudanças substanciais para evitar essas arbitragens caras e demoradas”.

 
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on pinterest
Pinterest
Imagem padrão
periciabr
Artigos: 328
0
Seu carrinho está vazio!

Parece que você ainda não adicionou nenhum item ao carrinho.

Buscar Cursos