Não há abusividade em juros remuneratórios superiores a 12% ao ano em contratos bancários